segunda-feira, 28 de julho de 2014

Final do Campeonato de Bochas será no sábado

A grande final do Campeonato Municipal de Bochas de Boa Vista do Buricá será realizada neste sábado, dia 26 de julho, na Sociedade Esportiva Gaúcho de Alpargatas, com início ás 13h15min com jogo preliminar com a decisão de terceiro e quarto lugar e logo após a grande final entre as equipes do GAÚCHO B X ATLÉTICO A. A equipe do Atlético venceu o 1º jogo da final por 3 x 0 e conta com esta vantagem.
A Secretaria de Esportes de Boa Vista do Buricá, convida toda a população para prestigiar a final do Campeonato de Bochas.


Ginásio da E.E.E.M. Madre Madalena é reinaugurado

Após muitos anos solicitando, reivindicando a reforma por parte do Governo Estadual, para melhor aprendizado, mais conforto e segurança para os alunos e professores, da Escola Estadual de Ensino Médio Madre Madalena de São José do Inhacorá em 2013 foi contemplada com o recurso de R$ 317.133,42. No dia 25.06.14 foi feita a entrega oficial pelo Secretário Estadual de Educação Prof. Dr. José Clóvis de Azevedo, Coordenadora Regional da 17ª CRE Profª Ilse Maria Bamberg, com a presença do Prefeito Municipal Eliseu João Redel Schenkel e autoridades municipais e regionais. A diretora Paula Simone Jahn Joner em sua fala relatou: “A escola está em festa. A família Madre Madalena agradece a execução dessa magnífica obra por parte do governo e a todos que contribuíram de uma ou de outra forma para a realização da mesma”.


Dia 25 de Julho, Dia do Colono e Motorista

Vanderlei Holz Lermen

No dia 25 de julho, data em que comemoramos a passagem do Dia do Colono e Dia do Motorista, temos a oportunidade de congratular estas duas classes de homens e mulheres que, dia após dia, ano após ano enfrentam todas as diversidades, cultivando suas terras, transportando riquezas, produzindo e construindo em silêncio a grandeza desta comunidade.
Com o intuito de reconhecer e agradecer a esses heróis, registramos o trabalho incansável de algumas pessoas que produzem os alimentos e que transportam as riquezas pelas estradas.
Para prestar a homenagem, representando toda a classe trabalhadora do campo escolhemos os agricultores que participam da Feira do Produtor de Boa Vista do Buricá. A agricultura familiar é responsável por colocar na nossa mesa 7 entre cada 10 alimentos que consumimos todos os
dias, e por isso merece o nosso destaque.
Para homenagear os motoristas, escolhemos os que transportam a maior riqueza: as pessoas. Para isso, conversamos com dois motoristas de ônibus.
Do campo para a cidade
Todas as quartas-feiras à tarde e sábados pela manhã acontece a Feira do Produtor em Boa Vista do Buricá. Em um pavilhão recentemente construído, os produtores vendem os seus produtos diretamente ao consumidor final. Agricultores familiares, que em suas pequenas propriedades, produzem verduras, frutas e outros alimentos e se orgulham de oferecer a
os clientes a qualidade vinda direto das suas propriedades.
Fomos à feira na quarta à tarde. Encontramos três produtores expondo e vendendo seus produtos. São verduras, bolachas, pães, queijos, leite, manteiga e melado.
Matias Kipper é produtor de hortaliças. Ele participa da feira do produtor cerca de 5 meses. Mora em Linha Pardo e toda quarta e sábado traz até o pavilhão da feira verduras, ovos, batata-doce e outros produtos.
João Alberto Herold mora em Esquina Palmeiras. Traz à feira bolachas, pães, cucas coloniais e mel. Participa a 8 anos da feira do produtor.
João Engster representa os produtores que participam da feira, além de vender também queijo, leite, nata, manteiga, melado e embutidos. Segundo ele, são cinco produtores que participam da feira do produtor no sábado pela manhã. Na quarta-feira somente 3 estão na feira. Os outros produtores são Valdemar Schuster de Bom Princípio e Sueli Zaro de Vista Alta.
João comenta que a feira é muito importante para os produtores do município. “É aqui que eles vendem os seus produtos diretamente ao consumidor, mostrando a variedade e a qualidade de sua produção”.
O que surpreende é a variedade e a qualidade. O consumidor escolhe o que quer levar e negocia diretamente com o produtor, tendo a certeza da procedência desses alimentos. As vantagens são muitas: para o produtor, que vende seus produtos, para o consumidor, que compra mais barato e sabe a procedência, e para o município, pois o dinheiro circula entre a população.
Motoristas com responsabilidade
Valdir Baungarten e Antenor Neuhaus são motoristas que levam diariamente a maior riqueza do país: as pessoas.
O Motorista não é um profissional apenas que opera um veículo. Na verdade, este é apenas um dos lados de sua atuação. Ele trabalha e é responsável por vidas. Quando está ao comando de um veículo de transporte coletivo, sua responsabilidade aumenta ainda mais. Dirigir um ônibus requer habilidade, profissionalismo, mas acima de tudo, gosto pelo que se faz.
Este gosto que é o diferencial entre um operador de veículos e um verdadeiro motorista.
Uma vida dedicada à profissão
Valdir José Baungarten tem 63 anos e uma vida dedicada à profissão de motorista. Ele começou a sua profissão em 1978, quando comprou uma linha de leite. Naquela época o transporte de leite era feito com tarros em um caminhão. O motorista trabalhou alguns meses sozinho, mas devido as dificuldades no trabalho, contratou um secretário.
Valdir sempre dirigiu mesmo seu caminhão, e conta que não tinha férias e nem final de semana. O serviço era direto. Quando adquiriu seu caminhão, comprou também os tarros para o transporte de leite, que aos poucos foram sendo trocados com os produtores, já que recolhia os com leite e deixava vazios. Um dos principais problemas era que havia muito leite azedo. Somente por volta de 1990 apareceram os primeiros tanques.
Valdir conta que uma das grandes dificuldades nos primeiros anos que tinha linha de leite eram as estradas. Em dias de chuva era comum atolar o caminhão, e precisar da ajuda dos moradores para conseguir sair.
Em 2004 se aposentou como freteiro de leite e começou a trabalhar como motorista de transporte escolar. Para Valdir ser motorista de transporte escolar exige muita atenção e responsabilidade. “É preciso ter cuidado para que não aconteça nada, fazer tudo certo, como manda a lei. Tem que ter o curso para motorista de transporte escolar e atenção, pois os pais estão sempre de olho na segurança de seus filhos na hora de ir e voltar da escola. Eu gosto da profissão e do contato com as crianças”. Os dias de chuva requerem ainda mais atenção do motorista, mas Valdir diz que atualmente as estradas estão em boas condições, o que auxilia bastante no seu trabalho.
Aproveitando o assunto do transporte escolar no meio rural, uma das questões que merece destaque é a diminuição no número de crianças que utilizam o transporte escolar. Valdir recorda que nos primeiros anos havia um número muito maior de estudantes. “Lembro que nos primeiros anos que fazia o transporte escolar o ônibus saia lotado da localidade de Pé-de-Bota. Hoje são menos de 10 alunos na minha rota. Está diminuindo cada vez mais”.
Também chama a atenção do motorista a quantidade de moradias que foram sendo abandonadas. “São cada vez menos moradores e menos paradas durante o trajeto. As propriedades vão sendo vendidas e as localidades vão tendo sempre menos moradores, e com isso diminui o número de estudantes”. Segundo ele, a perspectiva é de que esse número diminua cada vez mais.
Com 25 anos de profissão, Noa se sente realizado
O motorista Antenor Neuhaus, mais conhecido como Noa, tem 25 anos de profissão. Começou a trabalhar como motorista aos 22 anos. Já dirigiu caminhão de carga, levando fumo, soja e leite, e atualmente dirige ônibus, tanto para transporte escolar, levando alunos para a faculdade e também excursões.
O que motivou Noa a ser motorista foi a vontade de viajar e conhecer lugares diferentes. A viagem mais distante que já fez, e a que mais marcou, foi para Brasília, dirigindo o ônibus de um conjunto musical, o Grupo Momentos. “Foi a viagem que mais me marcou, pois tive a oportunidade de, trabalhando, conhecer Brasília”.
Para ele, dirigir um ônibus exige muita responsabilidade. “Quanto mais pessoas a gente leva, maior é a responsabilidade. Embora as vezes sozinho, temos também a responsabilidade de cuidar dos outros”.
O motorista diz que durante o tempo em que dirige algumas coisas mudaram nas estradas. “O fluxo de veículos aumentou bastante, a velocidade e a imprudência, que é uma das principais causas de acidentes, por causa da velocidade excessiva e ultrapassagens perigosas”.

Ponte danificada na enchente está praticamente concluída

Assessoria de Imprensa

A ponte que interliga os municípios de Nova Candelária, Humaitá e Crissiumal está praticamente concluída. A mesma foi reformada e conta com estrutura em concreto armado com vigas pré-moldadas. O investimento total da obra foi de R$ 145.892,67. A ponte somente não está liberada para o tráfego, pois será necessário esperar o tempo de cura do concreto, bem como será necessário ainda a execução do reaterro dos encontros da ponte (pilares/paredes de conteção).

Arraiá Infantil das Escolas Municipais Sonho de Criança e Mundo Encantado

No último dia 05 de julho a EMEI Mundo Encantado e Sonho de Criança acolheram as famílias, a comunidade de Nova Candelária, as equipes das escolas e de modo especial os pequenos caipiras que emocionaram e encantaram a Festa Julina com seus talentos.
A Festa Julina é uma das festas do ano mais esperadas pelas crianças. A EMEI aproveita esta data para manter viva uma das importantes tradições que reforça os valores da nossa cultura. É o momento de confraternizar e integrar a escola e  a família.
Os festivos juninos tem sua origem relacionada com a celebração das colheitas dos sabores da roça. A colheita é o sinônimo de plantar, brotar, do frutificar, ela é o desfecho de um longo período de trabalho e quando este alcança êxito é digno de ser comemorado.
A festa das escolas foi o resultado da participação e do empenho das funcionárias, das mães, dos pais, das avós pela importante ajuda na preparação dos quitutes. É o resultado do empenho e comprometimento da monitora, das atendentes, professoras e das direções com a escola, no ensaio das apresentações, na ornamentação e organização da festa. O sucesso da colheita se dá através do trabalho em equipe, da soma de forças e de ideias.
As escolas infantis agradecem a presença de todas as pessoas no evento, bem como sua a colaboração. “Cada estrela tem seu brilho, mas o espetáculo se torna maior quando todas elas brilham juntas.”

Festa Julina no CRAS Viva Bem de Nova Candelária

Nos dias 07 e 09 de julho, a equipe do CRAS junto com seus grupos de convivência de crianças, adolescente e Idosos reuniu-se nestes dias para comemorar o Dia de São João com uma grande Festa Julina. A festa contou com várias apresentações de danças, quadrilhas, casamento caipira e muitos quitutes.
E também para transmitir um pouco dessa alegria o Coral Melhor Idade e o grupo de crianças e adolescentes cantaram e distribuíram pipocas nos setores da Secretaria de Saúde Municipal e na Prefeitura Municipal.

Encerramento das atividades do 1º semestre da rede municipal de ensino

Assessoria de Imprensa

A Administração Municipal de São José do Inhacorá, através da Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Desporto e Turismo realizou no dia 16 de julho de 2014 no Salão Comunitário de Santo Antônio do Inhacorá atividade artística e ambiental envolvendo alunos da Pré-Escola a 8ª séries da Rede Municipal, através de Apresentação com o Grupo teatral “Cia da Alegria”. Esta atividade teve como objetivo o encerramento do 1º Semestre de 2014 e foi um momento de descontração e alegria para alunos, professores e funcionários.